Saúde e bem estar

A sua vida, mais saudável.

Você cuida bem da sua cabeça e do seu pescoço?

Postado em 02 de julho de 2020


Quando pensamos em cânceres, logo vem à mente os mais populares, como o de mama por exemplo. Mas assim como outras partes do corpo, a cabeça e o pescoço também merecem cuidados e atenção. Os tumores de cabeça e pescoço são mais comuns do que você imagina.

Os tumores deste tipo costumam atingir a cavidade nasal, seios da face, boca, bochechas, língua, laringe e faringe. São partes do corpo para as quais muitas vezes esquecemos de dar atenção e os devidos cuidados com a saúde deles. Como não há exames de rotina para identificar este tipo de tumor, ficar atento a alguns sintomas podem servir de alerta como dor para engolir, manchas na boca e rouquidão na voz muito persistente por exemplo.

Quando diagnosticados precocemente, as chances de cura são bem maiores. Esses tipos de tumores malignos correspondem a 3% de todos os tipos de cânceres no brasil. E no caso dos homens, eles representam hoje a segunda maior incidência entre eles.

O câncer não tem uma causa única e pode surgir a partir de fatores externos ou internos, como por exemplo, as condições imunológicas da pessoa e até mutações genéticas. Conforme dados do INCA, entre 80% e 90% dos casos de câncer estão associados a causas externas.

Você pode prevenir o câncer de cabeça e pescoço evitando alguns dos fatores de risco como o álcool e o tabagismo; contudo, um vilão recente vem aparecendo cada vez mais nos índices: o papilomavírus (HPV) tem contribuído com o aumento expressivo da doença, o que pode ser contido com a imunização através da vacina e do sexo seguro com camisinha.

Dê mais atenção ao seu pescoço e à cabeça; se perceber qualquer alteração, procure seu médico. A prevenção e o diagnóstico precoce são os maiores aliados na cura destes cânceres.

  • Categoria: Sua saúde
  • Tags:

Doenças que podem ser desenvolvidas no sangue

Postado em 25 de junho de 2020


Como em qualquer parte do nosso corpo, o sangue também pode desenvolver doenças. Algumas patologias são muito sérias, outras mais simples, mas ambas podem ser diagnosticadas de forma precoce e tratadas.

As doenças mais graves que podem ocorrer no sangue são a Leucemia e os Linfomas. 
No caso da leucemia, é uma doença maligna dos glóbulos brancos, geralmente de origem desconhecida. Ocorre principalmente o acúmulo de células doentes na medula óssea, que substituem as células sanguíneas normais por células anormais e cancerígenas. Existem mais de 12 tipos de leucemia, sendo que os quatro primários são leucemia mieloide aguda (LMA), leucemia mieloide crônica (LMC), leucemia linfocítica aguda (LLA) e leucemia linfocítica crônica (CLL).

Já Linfoma é o nome de um conjunto de cânceres que afetam o sistema responsável por ajudar a combater infecções. Ocorre quando uma célula normal do sistema linfático sofre mutações, passam a se multiplicar sem parar e a se disseminar pelo organismo. Existem mais de 60 tipos de linfomas, que apresentam comportamento e grau de agressividade diversos. Eles podem ser divididos em dois grandes grupos: linfoma de Hodgkin e linfoma não Hodgkin. Os primeiros ocorrem em um tipo de célula linfoide conhecido como célula de Reed-Sternberge e acometem mais as pessoas entre 15 e 35 anos e acima dos 55 anos; os segundos são mais comuns em pessoas mais velhas e podem surgir em outras células do sistema linfático.

Estas doenças podem ser silenciosas no início, dependendo de sua agressividade, então fique atento a alguns sintomas:
- Febre ou calafrios;
- Fadiga e fraqueza persistentes;
- Infecções frequentes ou graves;
- Perda de peso sem motivo aparente;
- Nódulos linfáticos inchados;
- Desconforto abdominal, provocado pelo inchaço do fígado ou do baço;
- Hemorragias ou hematomas recorrentes;
- Pequenas manchas vermelhas na pele;
- Pressão ou dor no peito;
- Falta de ar ou tosse.

Outra doença que ocorre no sangue é a Trombose. É ocasionada pela formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias grandes das pernas e das coxas. A consequência é o bloqueio do fluxo de sangue causando inchaço e dor na região. O problema maior é quando um coágulo se desprende e se movimenta na corrente sanguínea, em um processo chamado de embolia. Uma embolia pode ficar presa no cérebro, nos pulmões, no coração ou em outra área, levando a lesões graves.

A Trombose pode ser causada pelo uso de anticoncepcionais ou tratamento hormonal, tabagismo, presença de varizes, em pacientes com insuficiência cardíaca, tumores malignos, obesidade, cirurgias de médio e grande porte, infecções graves, traumatismo, na fase final da gestação e qualquer outra situação que obrigue a uma imobilização prolongada. Os principais sintomas são dor, calor, vermelhidão e rigidez da musculatura na região em que se formou o trombo.

Para fechar esta relação de algumas doenças no sangue, temos a Anemia. Ela é o resultado da falta de glóbulos vermelhos ou de glóbulos vermelhos disfuncionais no corpo, o que causa a redução do fluxo de oxigênio para os órgãos. Os sintomas podem incluir fadiga, palidez, falta de ar, vertigem, tonturas ou batimento cardíaco acelerado.

A prevenção para estas e outras doenças no sangue passam pelos cuidados com a higiene, prática de exercícios físicos regulares, alimentação saudável com ingestão de frutas e legumes e qualidade de sono. Faça os exames de rotina regularmente, tome as vacinas corretamente e conte com a equipe da Cabergs.

  • Categoria: Sua saúde
  • Tags:

O sangue é o mesmo em todas as pessoas?

Postado em 18 de junho de 2020



A Cabergs procura estar sempre sintonizada com o que está ocorrendo no Rio Grande do Sul, no Brasil e também no mundo. Por isso, este blog vai procurar propor uma reflexão sobre o preconceito étnico racial, fazendo a seguinte pergunta: o sangue é o mesmo em todas as pessoas?

Sim, e não importa se você é descendente de indígenas brasileiros, de europeus, africanos, asiáticos ou oceânicos. Seu sangue é vermelho e funciona da mesma forma que todos os seres humanos do mundo. Sim, é fato que o sistema Rh classifica os tipos sanguíneos, e isto foi um avanço nos anos 40, mas é claro que sangues A, B, AB e O existem em todas as partes do planeta.

Dito isso, vamos aproveitar para relembrar como funciona o Rh de doadores e receptores conforme tipo sanguíneo, conduzindo para reflexão que o sangue é o mesmo independentemente de questões étnicas e raciais. Os grupos sanguíneos divididos com base nas letras citadas acima são definidos pelos antígenos que tem padrão A, padrão B, aqueles que tem ambos (AB) e o que não tem nenhum, que são denominados de O.

Outra característica é o Rh+ e o Rh-, que é o fator relacionado às hemáceas. Ele foi descoberto quando pesquisando o sangue de um macaco do gênero Rhesus: o colocaram em um coelho e este iniciava uma produção de anticorpos capazes de aglutinar as hemácias do macaco.

Agora vamos resumir um pouco para ficar mais fácil de entender. Sangue Rh+ recebe sangue Rh+ e Rh-, enquanto o sangue Rh- recebe apenas sangue Rh-. Sobre os grupos sanguíneos, o sangue AB recebe de todos tipos e o grupo O doa para todos; nesta linha, o A recebe de A e o B recebe do B. Vejamos o quadro:


  • Categoria: Sua saúde
  • Tags: