Saúde e bem estar

A sua vida, mais saudável.

Mitos e Verdades sobre o Câncer Colorretal

Postado em 24 de março de 2020


Um dos maiores obstáculos na prevenção e combate ao câncer colorretal é superar a falta de informação e o preconceito que impedem as pessoas de irem ao médico e realizarem exames de detecção precoce.

Por isso, no blog de hoje, vamos esclarecer algumas dúvidas.

O câncer colorretal é mais frequente em homens:
Mito. O câncer colorretal é uma doença que pode atingir tanto mulheres quanto homens. Esse já é o segundo tipo de câncer mais frequente nas mulheres.

O câncer colorretal não pode ser prevenido:
Mito. O câncer colorretal quase sempre se origina a partir de pólipos, que podem crescer na parede interna do intestino grosso. Por isso é importante detectar precocemente essas lesões benignas, através dos exames de rastreamento, e retirá-las antes de se tornarem malignas.

A idade importa quando se trata de desenvolver câncer colorretal:
Verdade. Mais de 90% dos casos de câncer colorretal são diagnosticados em pessoas com mais de 50 anos de idade. Além disso, outros fatores aumentam o risco de desenvolver a doença como histórico familiar da doença, história pessoal de câncer, obesidade e sedentarismo.

O câncer colorretal só afeta pessoas com mais de 50 anos:
Mito. Embora a maioria dos casos de câncer colorretal seja diagnosticada em pessoas com mais de 50 anos, a doença pode afetar pessoas de qualquer idade, especialmente aquelas que apresentam fatores de risco.

O câncer colorretal é uma doença que, inevitavelmente, mata:
Mito. O câncer colorretal é curável na maioria das vezes, quando diagnosticado precocemente e ainda não se disseminou para outros órgãos. Se diagnosticado em estágio inicial, o tratamento tem mais chances de ser bem sucedido.

A ausência dos sintomas não significa ausência da doença:
Verdade. Durante os primeiros estágios, a maioria das pessoas com câncer colorretal não apresentam sintomas. Alterações nas fezes, sangramento, dor abdominal ou perda de peso sem explicação, aparecem quando a doença já está em um estágio mais avançado.

A colonoscopia é um procedimento doloroso e constrangedor:
Mito. Embora possa causar incômodos a colonoscopia não é tão desagradável quanto a maioria das pessoas acredita. O procedimento dura de 15 a 30 minutos e o paciente é sedado para evitar qualquer desconforto.

A colonoscopia é a única forma de diagnosticar o câncer colorretal:
Verdade. A colonoscopia é considerada um exame padrão no rastreamento do câncer colorretal. Durante o procedimento todo o cólon é examinado e, se existirem pólipos, são retirados. No entanto, existem outros exames alternativos como a colonoscopia virtual, sigmoidoscopia flexível e exames de sangue oculto e de DNA nas fezes. No entanto, a visão direta de lesões e a coleta de material de biópsia são muito importantes para o diagnóstico.

Ter um pólipo significa ter câncer colorretal:
Mito. Os pólipos podem ser benignos ou pré-cancerígenos, mas em alguns casos, se não forem retirados, podem se tornar malignos, ou seja, câncer. Portanto não significa que ter um pólipo é sinônimo de câncer colorretal.

Ter câncer colorretal, implica em usar uma bolsa de colostomia:
Mito. Atualmente, com o avanço das técnicas cirúrgicas e das opções de tratamento, as colostomias não são uma opção frequente e, quando necessárias, são muitas vezes temporárias.

Posso tomar atitudes que reduzam o risco de ter câncer colorretal:
Verdade. Estima-se que de 50 a 75% dos casos de câncer colorretal podem ser prevenidos apenas adquirindo-se um estilo de vida saudável.

  • Categoria: Sua saúde
  • Tags:

Envie Seu Comentário